Browsing Tag

propósito

autoconhecimento

4 conselhos de uma expert sobre como se vestir ao dar uma palestra

4 conselhos sobre como se vestir ao dar uma palestra.

Este post surgiu com a intenção de ajudar as pessoas que não sabem o que vestir ao dar uma palestra. Não, não sou a expert em oratória citada no título acima e muito menos tenho experiência em falar em público.

Mas como o meu blog é pessoal e um dos assuntos que abordo aqui refere-se a autoconhecimento, nas minhas redes sociais eu acabo seguindo e consequentemente atraindo seguidores que trabalham com isso, os coaches. Foi pensando neles que decidi compartilhar as informações a seguir. Mas acredito também que o tema irá ajudar muitos outros profissionais que em algum momento precisa se apresentar para uma plateia.

Meses atrás eu estava em um dos meus parques de diversão, uma livraria, e acabei comprando o livro “Ted Talks – o guia oficial do Ted para falar em público”. Para quem não sabe, o TED (Tecnologia, Entretenimento e Design) é uma conferência já vista por milhões de pessoas na internet, que reúne várias palestras curtas com assuntos de interesse público.

No livro, para discorrer sobre o que vestir, o autor convida sua amiga e oradora Kelly Stoetzel, que cita quatro perguntas – e respectivas respostas – que você deve fazer ao decidir o que usar em sua apresentação:

 

  • Há um dress code? Como o público estará vestido?

Você provavelmente vai querer se vestir como os ouvintes, só um pouquinho mais elegante.

 

  • Vai haver filmagem?

Se houver, evite o branco (a luz pode estourar), o preto (você pode acabar parecendo uma cabeça flutuante) e estampas ou padrões muito pequenos (que podem causar uma estranha tremulação nas imagens fotográficas ou de vídeo, conhecida como efeito moiré).

 

  • Você vai usar microfone auricular?

Muitas vezes, ruídos estranhos, fortes e metálicos começam a surgir do nada. São os brincos batendo no microfone. Evite brincos e pingente! Para os homens, uma barba de três dias também pode causar ruídos que lembram arranhões.

Ao escolher acessórios, evite pulseiras que chacoalhem e coisas brilhantes que possam causar reflexo. Uma echarpe pode ser um bom modo de acrescentar um pouco de cor caso você tenha escolhido uma roupa em tons neutros.

Talvez você use uma bateria de microfone no cinto. Por isso, sentirá mais segurança se tiver um cinto firme ou uma cintura definida para pendurar a bateria.

como-se-vestir-dar-palestra

Paula Abreu, uma das coaches mais seguidas no Brasil, em uma de suas palestras: optou por uma roupa bem marcada e colorida. Bingo!

  • Como será o palco?

Pense em usar algo colorido para se destacar do fundo e em se vestir para as pessoas da última fileira. A plateia, assim como a câmera, adora cores fortes e vibrantes.

Roupas bem marcadas tendem a ficar melhor no palco do que as folgadas e frouxas. Procure algo que proporcione uma boa silhueta e certifique-se de usar o tamanho certo – nem folgado, nem apertado.

 

Kelly também cita a importância das roupas bem passadas “roupas amassadas são a maneira mais fácil de mostrar que você não se empenhou muito”, e pede para “prestar atenção caso o ferro for do hotel esses ferros nem sempre estão em boas condições, podem estar vazando ou sujos”.

Ela sugere ensaiar a palestra usando a roupa que vestirá no dia. E cita o caso de uma palestrante cuja a roupa saiu do lugar no início da apresentação, as alças do sutiã caíram e ficaram penduradas nos braços durante toda a palestra.

Por fim, Kelly enfatiza “o mais importante é usar algo que reforce sua segurança. Isso é algo que se pode resolver com antecedência. E vai ser uma coisa a menos com que se preocupar e a mais para trabalhar a seu favor”.

Recado dado!

 

 

Fotos retiradas do site Escolha a Sua Vida, de Paula Abreu, que surpreendentemente disponibilizou todo o conteúdo para uso público. Não tem como explicar, só lendo mesmo o que ela escreveu por lá:

“Uncopyright – Todo o meu conteúdo deste site está no domínio público. Abro mão de quaisquer direitos de uso sobre meu trabalho. Se você quiser usar meu conteúdo, não se preocupe em me escrever pedindo permissão. Aqui está ela: use como quiser, mande para os amigos, imprima e cole por aí, copie no seu blog ou site à vontade. Se puder colocar os créditos e link para o meu site, fico agradecida. Mas não exijo isso. Meu objetivo é transmitir estas mensagens para o maior número de leitores possível, então, estou desapegando – dentre tantas outras coisas – dos meus direitos.”Paula Abreu

Linda, talentosa, visionária ou tudo junto? Já falei mais sobre ela aqui, aqui e aqui. Gratidão!

estilo

gigante da moda aposta na moda atemporal

Novos tempos. A C&A, gigante da moda aposta na moda atemporal. Para uma fast fashion, parece contraditório, não?

Das grandes redes, a C&A tem uma característica marcante, que é de ser precursora na sua área. Quando a gente vai ver, ela foi lá e fez.

Uma tendência tem muito mais crédito quando uma grande do mercado aposta nela. E nos últimos dias a C&A está prestando um belo serviço, realizando campanhas e parcerias que, espero, vão impactar outras empresas do varejo de moda.

 

gigante-moda-aposta-atemporal-00

Moda Atemporal

Na revista Isto é Dinheiro saiu uma matéria com o título “C&A vira do avesso” sobre a nova estratégia da empresa, que privilegia a criação de conceitos. E a moda, para a companhia, deve ser atemporal. Em vez de coleções sazonais, ela vai apostar em linhas duradouras e bem pensadas, confiante nas escolhas de seu consumidor. Como uma curiosa das tendências de comportamento, eu gosto e aposto neste movimento. Acredito que muitos consumidores estão no processo de deixarem de ser vítimas da moda para criar o seu próprio estilo.

 

moda-com-proposito-malha-parceria-ca

banner de divulgação do lançamento do livro Moda Com Propósito

Moda com Propósito

A empresa anunciou sua parceria com a Malha. A Malha é um espaço colaborativo que conecta criadores, empreendedores, fornecedores e consumidores pela construção de uma moda sustentável. Um dos criadores da Malha é André Carvalhal. Para quem não sabe, André trabalhou por muitos anos como diretor de (um vitorioso) marketing da Farm e lançou neste mês seu segundo livro, Moda com Propósito.

A parceria engloba quatro projetos, você poderá saber mais detalhes aqui.

“Alguém precisa começar e patrocinar essa mudança e é isso que estamos fazendo. O que vai ditar o futuro da moda é a expressão do indivíduo e não das marcas. Tem que abraçar esse processo como causa e não como modismo”, disse Paulo Correa, CEO da C&A.

Vocês não podem ver, mas estou aqui, fazendo coraçãozinho com a mão.

 

 

ca-vitiligo-modelo-campanha-verao-2017

Modelo da vida real

Um barulho positivo nas redes sociais aconteceu quando a C&A colocou na sua campanha de Verão 2017 uma modelo com vitiligo. O post do Facebook já tem 154 mil curtidas, 4.500 compartilhamentos e 3.500 comentários. Como a modelo não é profissional, foi encontrada pela internet ao invés das tradicionais agências. Eu vibrei com a iniciativa. O vitiligo atinge 2% da população mundial, segundo a fundação americana Vitiligo Research. Meu marido tem. Uma campanha tímida, pois foi feita apenas em um dos canais de comunicação, a internet, mas mesmo assim impactante.

 

Um conjunto de ações que me fazem acreditar que a empresa realmente segue em direção a uma moda mais consciente.

 

Vamos acompanhar! Um beijo!

 

imagem: facebook C&A, facebook André Carvalhal

como controlar medo e sair zona conforto
autoconhecimento

como controlar o medo e sair da zona de conforto

Como controlar o medo e sair da zona de conforto? Dizem que os sagitarianos gostam de filosofar sobre a vida. Neste caso, sou regra. Pensar, questionar, ver e rever conceitos. Faz parte de mim.

Em um período de busca por mudanças fui atrás de conhecimento para conseguir controlar o medo e sair da paralisia.

como-controlar-o-medo

 

Tim Ferris, autor do livro 4 horas por semana, diz que, normalmente, o que mais tememos fazer é o que mais precisamos fazer. Aquele telefonema, aquela conversa, o que quer que seja – é o medo de resultados desconhecidos que evita o que precisamos fazer.

Você está com medo, exatamente como o resto do mundo. E Tim, ordena “desenvolva o hábito mais importante daqueles que se destacam e gostam de extrair o melhor da vida: a ação .”

O medo já foi assunto neste blog, como um dos 5 grandes vilões da realização dos seus sonhos.

 

DAR AQUELE TELEFONEMA. O PRIMEIRO PASSO PARA SUPERAR O MEDO.

Justamente dar aquele telefonema foi um dos meus primeiros passos para superar o medo e seguir em frente.

Após um período de completa satisfação como mãe em tempo integral, o meu desejo de ter um trabalho remunerado cresceu de uma forma que ele não poderia mais ser ignorado. Descartei a ideia de abrir um negócio próprio e decidi que iria (re)começar com o que eu já conhecia e tinha experiência, como estilista em empresas.

Foram mais de 10 anos no mercado, mas em compensação 7 anos fora dele, então eu sabia que enviar o currículo não seria suficiente. O que eu deveria fazer era tentar uma recolocação através de uma consultoria de Recursos Humanos. Eu já conhecia a proprietária de uma master consultoria aqui no Rio, especializada na minha área de atuação, moda. Mas isso foi em 2008, quando cheguei na cidade e participei de alguns processos de seleção de candidatos com ela.

Ligar ou mandar uma mensagem? Ligar seria mais eficiente. Mas, e se ela não lembrar de mim? Dúvidas surgem. O fato é que, depois de decidido, não dá para pensar muito. Como dizem por aí, é o vai lá e faz! Liguei e ela não pode falar comigo no momento. Se não me falha a memória, este primeiro telefonema foi dado em outubro de 2014. Fui retornar a ligação – pasmem – seis meses depois. Demorou? Para mim sim. Mas se a vontade é grande, uma hora a coragem vem.

 

A boa notícia é que nada é em vão. Descobri que ela também fazia o trabalho de coaching e redirecionamento de carreira. Meses depois virei cliente dela. Fiz entrevistas de emprego mas com o decorrer do tempo o meu caminho profissional tomou outro rumo, muito mais condizente com o meu conceito de realização, propósito e sucesso. O meu (re)começo de uma nova, longa e acredito mais prazerosa caminhada.

Muitas vezes, para que as mudanças ocorram, é importante ter mentores que nos inspiram. Eu tenho os meus, e você?

Todos os dias novos desafios surgem, e com eles os medos, que precisam ser superados.

 

O ESTRESSE BOM

No livro como manter a mente sã, de Philippa Perry para The School of Life, a autora fala sobre o estresse e propõe um exercício para sair da zona de conforto.

Sobre o stress, ela diz que o alto nível de estresse resulta em pânico e paralisa. No entanto, a ausência total de estresse faz com que o cérebro não se exercite. Mas níveis moderados de estresse sustentam o nosso aprendizado.

Descobrir que o cérebro não é diferente de um músculo e que precisa ser exercitado já é um bom motivo para começar aquele curso, ler aquele livro que a gente vem adiando há tempos.

E Philippa, assim como o Tim Ferris, orienta “sinta o medo e aja mesmo assim. Ou sinta a vergonha e aprenda algo mesmo assim.”

 

EXERCÍCIO DA ZONA DE CONFORTO

O exercício da zona de conforto, consiste em escrever dentro do círculo central exemplos de atividades nas quais você se sente completamente confortável. Fora desse círculo, escreva exemplos de atividades que você pode fazer, mas que o deixam de alguma forma nervoso, mas não o bastante para impedir de fazê-las. E assim por diante, até chegar nas coisas de que você tem medo mas que gostaria de fazer.

 

Veja abaixo de como seria o meu círculo hoje:

exercicio-zona-de-conforto

 

Com o exercício a autora descobriu que, quando ela estabelecia um desafio realizável e o cumpria, a autoestima e autoconfiança aumentavam em todas as áreas. E que, se não continuasse testando os seus limites, desafios que pareciam confortáveis em um ano, passavam a exigir coragem no ano seguinte.

 

Realmente, o que antes era fácil, como por exemplo começar um curso, passou a exigir mais de mim. Entre outros fatores, o medo de errar na escolha de qual curso fazer era paralisante. Mas quando entendi a força da AÇÃO e a importância de estar em movimento, os primeiros passos foram dados. Iniciei com um curso de curta duração, baixo investimento (ao trocar a palavra custo por investimento, minha mente se abriu para o desconhecido) e baixa expectativa ( com o objetivo de aprender e não de originar a minha nova profissão pelos próximos 20 anos) .Para resultados diferentes, ações diferentes.

E agora é assim que eu quero seguir, sempre em frente!

 

 

 

Crédito imagem: www.freepik.com”>Designed by Mrsiraphol / Freepik<